Domingo, 17 de Outubro de 2021 10:41
71996807374
Bahia PROIBIDO

Paredões estão proibidos na Bahia, anuncia governador após mortes em festa

A decisão foi anunciada depois da morte de seis pessoas em uma festa paredão, realizada no bairro do Uruguai, em Salvador, entre a noite da última terça-feira, 12/10, e a madrugada desta quarta.

14/10/2021 07h25
Por: Redação: V.M.R.C Fonte: A Tarde
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

O governador da Bahia, Rui Costa, anunciou nesta quarta-feira, 13, que não permitirá mais festas paredão no estado. Segundo o chefe do Executivo baiano, para a realização de festas nas ruas será necessária autorização das prefeituras e comunicação prévia à Polícia Militar.

                                  

"Não vamos permitir mais nenhuma festa de paredão na Bahia. Para festas serem realizadas fechando ruas, as prefeituras precisarão autorizar e comunicar à Polícia Militar previamente. Caso não haja autorização prévia, a PM deverá apreender os equipamentos sonoros", escreveu o governador no Twitter.

A decisão foi anunciada depois da morte de seis pessoas em uma festa paredão, realizada no bairro do Uruguai, em Salvador, entre a noite da última terça-feira, 12, e a madrugada desta quarta. Outras 18 pessoas ficaram feridas. Dois suspeitos foram presos.

                                                    

Segundo a Polícia Civil, um grupo armado chegou ao local onde acontecia a festa e efetuou vários disparos. Testemunhas relataram que vários adolescentes com idade entre 14 e 16 anos participavam do evento.

O governador também anunciou que quadruplicará os valores das premiações por desempenho policial, como para a apreensão de armas. Um decreto será publicado na sexta-feira, 15/10.

Em entrevista à imprensa nesta quarta, Rui atribuiu a violência à piora das condições sociais no país. "Sabemos da dificuldade que o Brasil atravessa. E como sempre acontece, não só no Brasil, mas no mundo inteiro, que todas as vezes que se degradam as condições sociais, de sobrevivência, vem no rastro dessa piora o aumento dos indicadores da violência", avaliou.

O governador também voltou a relacionar o aumento do crime com decisões do governo federal de flexibilizar o acesso às armas. "Numa condição histórica, em qualquer período da história recente do Brasil, com a facilidade enorme no acesso a armamentos, que independente da condição pelo volume que está liberado, essas armas de um jeito ou de outro, mais cedo ou mais tarde, cairão nas mãos de criminosos", comentou.

A escalada da violência na Bahia tem pressionado o governador nas últimas semanas, com episódios em série como invasões de criminosos a residências e moradores feito reféns. Lideranças da oposição têm feito reiteradas críticas ao trabalho do governo no setor. "Nesse feriado, vimos o Porto da Barra, o bairro do Uruguai e cidades do interior serem palco de cenas lamentáveis de violência que não param de se repetir. Nosso estado precisa de um governo que chame para si a responsabilidade e tenha compromisso com o futuro dos baianos", afirmou o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, pré-candidato ao governo.

O chefe do Executivo estadual já havia decretado guerra aos paredões desde 2020, mas na época em um contexto de enfrentamento à pandemia da Covid-19. Em agosto do ano passado, Rui informou que festas do tipo passariam a ser enquadradas como crime contra a saúde pública. 

Câmeras - Mais cedo, o prefeito de Salvador Bruno Reis, informou que os principais pontos turísticos da capital terão câmeras de reconhecimento facial.

De acordo com o gestor, o objeticvo da iniciativa é coibir a criminalidade nas regiões. O episódio mais recente foi o assassinato de um homem na praia do Porto da Barra no último domingo, 10.

“Essas são áreas importantes para a cidade com geração de emprego e renda, acredito muito que a tecnologia pode auxiliar no combate ao crime, a prefeitura entra no que for possível, sempre consciente que a segurança pública cabe ao Estado”, declarou o prefeito.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias