Quinta, 02 de Dezembro de 2021 12:06
71996807374
Geral Mato Grosso

Cadeia Pública de Mirassol D’Oeste ganha nova ala para trabalho de ressocialização

Na fábrica, os recuperandos vão produzir bloquetes e manilhas que serão utilizados em obras de melhorias para a cidade

25/11/2021 18h55
Por: Redação: V.M.R.C Fonte: Secom Mato Grosso
- Foto por: Ascom/Sesp
- Foto por: Ascom/Sesp

A Cadeia Pública de Mirassol D’Oeste (284 km de Cuiabá) passou a contar com uma ala exclusiva para o trabalho de ressocialização de recuperandos da unidade. A Ala Leandro Soares foi inaugurada nesta quarta-feira (24.11) e no local irá funcionar uma fábrica de bloquetes e manilhas, que serão utilizados em obras de melhorias para a cidade.

A construção foi uma parceria entre diversos órgãos e entidades, inclusive do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). Responsável e entusiasta da iniciativa, a juíza de Execução Penal da comarca do município, Sabrina Andrade Galdino Rodrigues, foi quem reuniu a somatória de esforços entre parceiros.

“Todo este trabalho foi realizado com o intuito de darmos um tratamento mais adequado à execução penal. Nós precisamos prevenir que este recuperando volte a prática do crime e isso vai acontecer aqui por meio do trabalho. Este reeducando precisa ter a possibilidade de uma porta diferente ser aberta na vida dele e essa também é nossa responsabilidade enquanto sociedade”, destacou a juíza.

A obra contou com a ampliação do espaço da cadeia pública com a doação de um terreno vizinho ao da unidade que foi utilizado para a construção da ala de trabalho e de uma sala de atendimento para tornozelados. A Sesp, por meio da Adjunta de Administração Penitenciária, investiu na construção do muro desta nova área, orçado em pouco mais de R$ 65 mil.

O local também contou com recursos do Conselho da Comunidade de Execução Penal do município, além dos esforços do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública e da prefeitura de Mirassol, que cedeu os materiais que serão utilizados pelos reeducandos na fábrica. E vale destacar que os recuperandos trabalharam cedendo a mão de obra voluntariamente.

Presente na inauguração, o secretário adjunto de Administração Penitenciária, Jean Gonçalves, disse que uma das responsabilidades da secretaria também é na ressocialização dos recuperandos, para que retornem melhores e com mais oportunidades para a sociedade.

“Temos índices extraoficiais de que a cada 100 recuperandos que voltam para a sociedade, 80 reincidem no crime. O recuperando cumpre sua pena, sai da unidade e muitas vezes não consegue uma oportunidade de trabalho, voltando a praticar crimes. O que nós queremos é oferecer qualificação profissional e trabalho dentro da unidade, para que quando saia, tenha não só um dinheiro guardado, mas a experiência necessária para conseguir um serviço lá fora e viver sua vida de forma digna”, disse o secretário.

O prefeito da cidade, Héctor Alvares, destacou a parceria que já é realizada entre a prefeitura e a cadeia, em especial com a mão de obra dos recuperandos.

“Nós temos uma parceria intensa com a cadeia pública, com três turmas de reeducandos trabalhando de segunda a sexta-feira, realizando um trabalho voltado para a sociedade. Muitos bloquetes aqui produzidos serão utilizados em ruas de nossa cidade que serão pavimentadas. Então o trabalho destes reeducandos também beneficiará a nossa cidade”, destacou o prefeito de Mirassol D’Oeste.

Ala Leandro Soares

A ala de trabalho recebe o nome de Leandro Soares em homenagem ao trabalhador que foi absolvido pela Justiça após passar cinco anos preso por um crime que não cometeu.

O caso aconteceu em 2015, em Mirassol D’Oeste, quando houve uma tentativa de latrocínio, feita por dois criminosos. Uma testemunha afirmou ter visto Leandro conversando com outras pessoas sobre o crime e afirmou que ele teria sido um dos suspeitos, mas ele estava trabalhando na hora do fato.

Outra pessoa também havia sido presa suspeita de ter cometido o crime, e acabou confessando, mas afirmou que Leandro não seria seu comparsa. O caso entrou em revisão judicial, no entanto, se passaram cinco anos.

Somente neste ano que a tão sonhada absolvição ocorreu para Leandro, que esteve presente na cerimônia de entrega da ala.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias